Pesquisar este blog

Quem sou eu

Minha foto
Uma pessoa feliz. Jornalista e escritora apaixonada. Mãe, dona-de-casa, curiosa, amiga e sempre uma aprendiz. Muito prazer!

Doidos por cinema

terça-feira, agosto 16, 2005

Não quero ver!


Podem me chamar do que for, mas o filme "2 filhos de Francisco", a história de Zezé de Camargo e Luciano, eu não quero ver! Li críticas sobre o filme e não adiantou. Nem os rasgados elogios à fotografia, roteiro, elenco e trilha sonora me entusiasmaram.

Aliás, por que quando se faz um trabalho contando a história triste de alguém, ninguém tem coragem de criticar? Eu não sou um exemplo de crítica porque nem assisti ao filme (e nem vou! - só para frisar). Não adianta. O problema é que não gosto deles, não gosto da música deles e não vou de jeito nenhum! (só pra frisar!).
Não sou contra a música sertaneja, nem contra os que gostam de ouvir sertanejo, eu só não suporto aqueles gritinhos em duas vozes com o semblante tão sofrido que dá dó! Dó de vê-los ali, se espremendo tanto para tirar uma nota. E sabe o que é pior? Tanto esforço para cantar a dor de cotovelo....Oh, dó!

Não vou perder meu tempo em assistir a vida dura de dois meninos em busca de um sonho. Que bom que conseguiram e estão milionários! Parabéns aos filhos do Francisco e à família inteira dele.

Não sou contra filme brasileiro, apesar de continuar com medo da versão de Cleópatra. Não tenho nada contra o cinema brasileiro. Gosto do Walter Salles, por exemplo, mas não assisti Central do Brasil. Não assisti e nem pretendo. Tem coisas que não se explica, mas não gosto muito de sentar-me num poltrona de cinema (alguém aqui tem coragem de dizer que sente-se confortável naquelas cadeiras?) para assistir à pobreza do nosso país. Não preciso disso. As ruas de São Paulo estão cheias de cenas terríveis de se ver.

Por falar no Walter Salles, o filme dirigido por ele, Água Negra, eu queria ver. Dizem que, além de ser uma excelente adaptação do filme original - o terror japonês Honogurai mizu no soko kara (de Hideo Nakata, 2002) - o elenco, a fotografia, roteiro e a trilha sonora são o que há! Que maldade... (mas este eu quero ver mesmo!).

2 comentários:

Ana disse...

Eu também não quero e não vou ver esse filme. Não sei porque, mas esse apelo emocional de mostrar a vida dura de duas pessoas que deram certo, não cola... Só estão fazendo esse filme por motivos comerciais. Como a dupla faz sucesso (não comigo, porque detesto setanejo) todos os fãs vão ver e, consequentemente, o dinheiro vai entrar...

Júnia Turra disse...

Érika, ahahahaha, concordo com vc. Deteeesto estes dois e n~ao vejo o por quê de se fazer um filme da vida deles. Porque n~ao filmam a vida do Manoelz~ao, falam sobre Cordisburgo? Oras, foi o grande personagem de G. Rosa.
Estes filhos de Francisco que me desculpem: n~ao vi e n~ao quero ver também. Vai acrescentar o que à minha vida? Prefiro alugar o DVD com Al Pacino em Ricardo III. Quanto a Central do Brasil, eu vi!!! Que me desculpe quem aplaudiu: uma droga! Uma história chata, que n~ao desenvolve e qualquer atriz com a idade da Fernanda Montenegro, que fosse colocada meio desgrenhada dava um show naquele papel entendiante. Ainda bem que n~ao ganhou o Oscar. Nós n~ao merecíamos pagar o mico do "fez o melhor lobby levou". Já chega desta história em outras praias ou planaltos,rs... Passou na TV e eu aproveitei para rever e... claro... dormir... Aconselho para noites de insônia!
Brasileiro tem que parar de achar que sempre é o melhor do mundo em tudo e admitir que tem muita gente boa por aí fazendo coisa boa. É a partir do ato de humildade ou do "eu n~ao sou o melhor", que tudo tem início. N~ao é o melhor, mas pode vir a ser, mesmo que, no cinema, isto demore alguns muitos zilh~oes de anos. Well, a n~ao ser que haja patrocínio dos "Correios", do "Mensal~ao", etc, etc.